728x90 AdSpace

Latest News

Tecnologia do Blogger.
18.3.13

{TeParceirando} Prólogo de IBEATI - Os Abençoados, de Ana Carolina Prado!


Heeeeey Abençoados \o
Como prometido, aqui esta o Prólogo de nossa querida autora parceira nerd. Só pelo Prólogo voces já saberão o que espera no resto da Estória que vai se desenvolvendo cada vez melhor .. Vamos a ele! 



- The Prologo - 

Eu andava devagar tentando não fazer nenhum barulho. Tinha me arrependido por não ter chamado Ryan para vir comigo. Eu sei, deveria estar acostumada com esse tipo de coisas, mas parecia que cada vez era pior, que cada um era pior.

A casa não era velha, mas a presença que estava lá era. Eu sentia. Os arrepios começaram se manifestar a partir do momento que não havia mais luz. Odeio escuro, por isso acendi uma chama. Aquilo me fazia tão bem e agora eu podia ver as coisas a minha volta. Podia ver as paredes que não estavam pintadas, mas só no reboco mal passado. Cada vez a passagem ficava mais estreita e menos funda. Havia uma única porta no fim do corredor.
A sensação de horror começou a aumentar como minha chama. Um fio de líquido negro apareceu. Aquilo cheirava mal, como morte. Continuei. Sair correndo não adiantaria nada.
Cheguei à porta. O líquido nojento vinha de lá. Talvez eu devesse chamar Ryan, ele não teria medo como eu… Droga, o que eu estava pensando? Eu podia fazer isso sozinha como os outros faziam. Isso era minha obrigação e não devia ter medo. Abri a porta devagar. Não queria abrir meus olhos, mas abri.

O que eu sempre notava primeiro eram os olhos, tão cheios de maldade e frieza. Eram escuros, digo, totalmente escuros, como ele era por dentro. Perto dos olhos havia cicatrizes que cresciam em desenhos esquisitos sobre as bochechas. Como sempre, ele era branco, chegava até ser translúcido. O desenho dos lábios era como uma linha, comprida e densa. E ele era careca. Nunca havia visto um careca antes, o couro enrugado e fosco. Posso assegurar, é bem mais feio. Estava nu, porém não tinha sexo. Como a maioria.
Fiquei sem fala. O único que abre a boca nessas horas é Ryan. Os olhos negros dele me analisavam por inteiro e um sorriso se abriu. Um sorriso que fez meus olhos se encherem de lágrimas, mas eu não choraria. Antes que eu pudesse abrir a boca para dizer algo, vi que o líquido negro vinha dele e eu não encontrava de onde saia. Para piorar a minha situação, ele estava encolhido do chão, imóvel, me impedindo de olhar a marca em seu corpo. Só assim eu poderia acabar com ele.

– A filha do Poderoso não devia ter medo. – disse ele devagar com a voz traiçoeira.
Seu hálito o tornava ainda mais feio. Era como pegar os piores odores do mundo e misturá-los.

– Não estou com medo, estou com nojo. – eu disse tentando esconder o tremor da minha voz.

Pude perceber que ele contorcia os dedos das mãos e dos pés sem parar. As unhas eram sujas como o quarto empoeirado. Estranho, por que a casa era limpa, só esse quarto estava sujo. Mas esses são os ambientes que eles ficam, lugares sujos como eles próprios.
Após a minha resposta, ele começou a falar em uma língua estranha e a fazer barulhos. Ele queria me deixar com medo.

– Garota, você sabe que isso é um elogio pra mim. – ele disse passando seus olhos para a chama em minha mão. – Mas ainda sinto que você está com medo. Ambos sabemos que isso me alimenta. – ele sorriu – Como a herdeira do fogo que deveria ser corajosa e destemida pode ter medo de uma criatura nojenta como eu? – sua voz ficou rouca no final até desaparecer.

Sabia que não devia ter medo. Eu simbolizava o fogo e não devia passar esta imagem de fraca. Refiz minha postura e o fitei com ódio. Ele soltou uma risada cortante, aquilo fez meus ouvidos doerem ardentemente. É isso que eles fazem. Fazem as pessoas duvidarem de si mesmas. Então fiz o que tinha que ter feito desde o começo. Coloquei fogo ao seu redor, o cercando em um circulo de chamas. Tinha que certifica-lo de quem era a autoridade. Eu tinha que me certificar do meu poder.

– Eu sou filha do Rei, sou o fogo e não preciso temer. E você será vencido como os outros! – eu disse expondo minha certeza e firmeza nas palavras.

Ele se esquivou, não pensou que eu tomaria o controle da situação assim. E agora ele estava nervoso.

– Isso está perto de mudar! Meu mestre só esta lhe mandando uma mensagem. – ele disse com animação nos olhos. – Ele ainda está na terra e vai voltar mais forte do que seu Rei, junto dos outros.

Ele me olhou pela última vez e se encolheu aos poucos, se contorceu o máximo possível, apertando suas pernas em seu peito seco e minutos depois, desapareceu.

Posso dizer que eu tinha uma vida normal. Meu dia era normal. Tinha problemas de adolescentes normais. Sentimentos normais. Eu vivi dezessete anos, sete meses e cinco dias normais. Agora? Tudo mudou desde que eu fui Abençoada.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------x

Vejam isso e muito mais em http://ibeati.tumblr.com/ onde 7 capítulos já estão disponibilizados ~^  


See ya \õ 
no image
  • Blogger Comments
  • Facebook Comments

4 comentários:

Postar um comentário

Top